sexta-feira

Estou constipada.
Estou cansada, a precisar dormir uma noite inteira sem acordar para nada.
Tenho a cabeça a andar ás voltas, não sei bem o que fazer.
Tenho um montão de projectos e ambições, não sei por onde começar. Tenho UM problema, um problema que já vem desde há, pelo menos um mês, e não sei que mais hei-de fazer.
Desde muito cedo, habituei-me a ser forte e a lidar com as eventualidades da vida, ainda assim, sempre procurei um porto de abrigo. Não que tenha tido uma vida de horrores, não, posso dizer que tenho tido uma vida agridoce, mas sempre fui forte, sempre lutei por tudo e sempre enfrentei tudo e todos. Ensinou-me a ser honesta, frontal e a prezar bastante quem está comigo. Todas essas situações fizeram de mim, parte do que sou hoje... já alguém dizia que é nas alturas de maior crise que se criam as maiores oportunidades! E no entanto, aqui estou eu, hoje, meia zonza, sem saber o que fazer! Era perfeito se nascessemos com um manual de instruções, quando estiver na situação X, a atitude S levá-la-à à situação W e a atitude C, levá-la-à à D... Pronto, fosse como fosse, lá estava ela, a solução.
Em todas as outras vezes, deitei mãos à obra, fiz das tripas coração e lá fui eu, arranjar maneira de resolver tudo. everything is gonna be alright... Mas agora, hoje, não dá, não consigo! A razão diz-me que é melhor ficar quieta e deixar que se acorde para a realidade, o coração, esse, está angustiadamente sem forças, sem ideias...
E depois, ainda há aquelas situações para as quais não tenho explicação... Se não gostas, porque corres atrás? Porque queres saber tudo de mim? Faz-te feliz? Ou será que te dá a sensação de controlo? Controlo do quê? Para quê? Não sei, simplesmente não sei....
Sinto-me descompensada mas, apoiada. Apoiada pelas pessoas que mais gostam de mim e que me puxam para a realidade racional.
Quero fazer coisas, mas nem sei por onde começar.
Sinto a cabeça a andar à roda e uma ligeira má disposição.
Vou ler. Vou deitar a cabeça na almofada e ler até adormercer, como fazia quando era miúda. A noite é boa conselheira.
Até amanhã.

4 comentários:

Julieta disse...

É tão difícil quando a nossa luta depende da luta de outro alguém... Não tenho conselhos, porque mesmo eu ando sempre às voltas comigo mesma; só sei que as respostas virão com o tempo, e as impulsividades (por experiência própria) às vezes criam muitos amargos de boca...

Rita disse...

Eu sei bem o que é estar constipada e querer dormir uma noite inteira e não conseguir..aiai... as melhoras;)

Beijinho

Leila* disse...

Amei a expressão "tenho tido uma vida agridoce", é bom saber. Até os momentos de indecisão e menos bons servem para alguma coisa. Como agora. Tenta seguir em frente, sem saber o que se passa com essa "outra pessoa", vai ajudar.

Entretanto cura essa constipação e sai para dançar! :D

beijinhos

Crix disse...

Olá Julieta, Rita e Leila*!
A expressão aplica-se ao centímetro, a minha vida é agridoce. Mas também, nem tudo é perfeito e por isso, há q avançar com optimismo (ainda que ás vezes me vá abaixo...)! Eu sigo em frente, mas é mto difícil olhar para o lado, fingir que não sei o que se passa, quando essa pessoa me é mto, mto, mto próxima... Daqueles laços que, pura e simplesmente não se cortam...
Mas estás coberta de razão, Leila*, "bola para a frente"! É sexta-feira, hoje, vou dançar!!!
;)*

p.s. As melhoras Rita! Recomendo mto chá quentinho!